quarta-feira, 26 de julho de 2017

O encanto



A vida continua....
Mesmo depois de traições,
Discórdias, inimizades e esquecimento,
Após o medo, depois da solidão,
Antes de sentirem-se tristes ou felizes,
A vida continuará;
E sempre continuou,
Quando estive sozinho, ou cercado de gente,
Ela continuou
Mesmo que nada fizesse,
E nunca parava,
Nem mesmo para nos observar;
A vida nunca parou para
Contemplar sua beleza
[como eu],
E seguiu em frente ao perceber
Que o seu encanto não iria embora...
Ela estava me trazendo um
Presente cheio de brilho e coisas felizes...
[seus olhos]
Ela me roubou com um sorriso...
E me devolveu aquilo que eu havia perdido com tristeza...
[um sonho]
A vida continuou me levando, rumo ao desconhecido...
Enquanto seguia o caminho da vida,
Pensei, reparou alguma vez na morte?
Ela sim... contemplou cada momento seu,
Vislumbrando momentos mais remotos,
Com olhares ávidos
[como os meus]
Perseguindo cada instante,
Sonhando com o momento
Em que te teria em seus braços
[tal como sonhei, sem jamais ter],
E mesmo parada, apenas observando,
Não deixou de sentir extrema saudade;
Ela te aguardava em repouso
Toda encantada por ti...
[assim como eu]
E em seu último frasco de vida encantada,
Ela chegou para tocar-lhe a face...
Sonhando com o dia em que nos colocaria
No eterno repouso, sem dor,
Sem rancor, somente o encanto;
E antes que você se vá de mim,
Tornar-lhe-ei meu mais belo quadro,
Minha mais singela poesia,
Imortalizada em carne e sentimento.
E por todas as noites restantes,
Eu dedilharei-lhe como um instrumento,
E cantarei aos ventos sobre você, e te farei a mais doce melodia,
para que todos saibam, és tu, o mais singelo sentimento
Jamais escrito, cantado, e amado.


Fernando Muniz

Nenhum comentário:

Postar um comentário